O mito do leite fraco

Nos dias de hoje, e apesar de toda a evidência cientifica que existe sobre o assunto, ainda há quem acredite e perpetue a ideia de que existe leite fraco, de que o leite da mãe não é de “boa” qualidade e que por esse motivo é necessário introduzir um leite processado de qualidade inferior.

Toda a evidência disponível até aos dias de hoje, confirma que o leite materno (LM) é sempre o melhor alimento e que este nunca é fraco, nem perde qualidades ao longo do tempo. Só em casos de uma subnutrição severa é que o leite poderá ter alguns nutrientes em falta visto que a mãe não os possuiu. A natureza dá sempre primazia à descendência e por isso só em casos de privação muito extremos é que o bebé poderá ser afetado.

A alimentação da mãe deverá ser o mais variada possível, saudável mas não restritiva. Não existem alimentos proibidos para uma mãe que amamenta.

Para além dos nutrientes e micro nutrientes o LM tem uma complexa constituição de agentes imunológicos como por exemplo macrofagos, células T, células estaminais, linfócitos, imunoglobulinas, agentes antimicrobianos como a lactoferrina e mucinas , prebióticos como os oligossacaridos, hormonas e fatores de crescimento, entre outros. O leite dos primeiros dias chamado colostro, é a primeira vacina do bebé pois a sua componente imunológica é muito alta.

O LM é um alimento vivo e diferente de mãe para mãe, e que se vai modificando com a hora do dia, duração da mamada, com a mama que é oferecida primeiro e com a idade do bebé. Como o leite de outros mamíferos, o LM é adaptado especificamente para o bebé humano. Enquanto que durante a gravidez a mãe transfere os nutrientes necessários através da placenta, depois do bebé nascer é através do LM que esses nutrientes e biocomponentes são ingeridos pelo bebé.

O LM é o alimento standard e expectável para o desenvolvimento normal e saudável de um bebé.

E quando o bebé não evolui de peso? Não é pelo leite ser fraco?
Não! Quando o bebé não mantém o seu percentil de peso ou perde peso, o problema NUNCA é a qualidade do leite (leite fraco). Poderão existir outras causas que têm de ser avaliadas como uma doença subjacente ou pouca ingestão de leite.

Motivos para uma ingestão de leite insuficiente:
– Insuficiente extracção por parte do bebé
– Pega incorreta
– Sucção fraca
– Mamadas curtas e pouco frequentes
– Mamadas com horários rígidos
– Uso de chucha e biberão
– Baixa produção de leite da mãe

Quando se percebe qual o motivo da baixa ingestão de leite, deve-se atuar na causa protegendo e promovendo a amamentação. Se for realmente necessário suplementar deve-se primeiro tentar suplementar com o leite da mãe, extraindo-o e oferecendo ao bebé.

Mas o leite é muito claro, quase transparente, é porque é fraco?
A cor do LM varia muito, dependendo da idade do bebé, do que a mãe come e durante a mesma mamada pode variar de cor do inicio para o fim. Pode adquirir uma cor esbranquiçada, amarelada, azulada, esverdeada, acastanhada ou avermelhada e todas são cores normais que o LM pode ter.

Quase todas as mães que amamentam, em algum momento ouviram que o seu leite poderia ser fraco, ou porque o bebé chora muito, ou porque o bebé “não aguenta 3 horas”, ou porque o bebé só se acalma ao colo, ou porque o bebé é pequeno, ou porque o bebé dorme pouco, ou porque

o bebé… o que quiserem inventar! Temos de olhar para o bebé em particular e atender as suas necessidades. Os bebés querem estar na mama por muito mais motivos do que simplesmente fome. Mamar dá-lhes conforto, segurança, aconchego e tranquilidade. Cada caso deverá ser avaliado, mas NUNCA o diagnóstico poderá ser leite fraco pois ele não existe. O leite materno é sempre o leite mais apropriado para um bebé humano.

Por Sofia Inácio
IBCLC, Farmacêutica
30 Setembro 2020

CONTACTE-ME

Pretende um esclarecimento, uma sessão de apoio à amamentação, ou pretende marcar uma formação na sua farmácia. Conte comigo!

ENTRE EM CONTACTO